carregando

Digite para pesquisar

De peito aberto: outubro rosa e o combate ao câncer de mama

Campanha tem como objetivo prevenir a doença e aumentar a conscientização sobre o autoexame

Mulher é símbolo de beleza, em todas as suas formas. É representatividade, força e união. Nesse mês de outubro, é momento de aliar esses sentimentos à importância de cuidar da saúde e sobre conhecer o próprio corpo.

O Santa Mônica Clube de Campo, pensando no bem-estar de todos os Moniquenses, apoia a campanha Outubro Rosa que é um alerta sobre o câncer de mama, também sobre o câncer de colo de útero e suas formas de prevenção. Em 2020, quase 18 mil pessoas morreram, 17.572 eram mulheres e 189 homens, e o número de casos chegou a mais 66 mil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer – INCA. É o tipo de câncer que mais mata as mulheres em todo o País.

Algumas medidas podem ser tomadas para prevenção e diagnóstico precoce, e essas atitudes podem salvar vidas. Confira:

Prevenção

Mais de 30% dos casos podem ser evitados se medidas de saúde e hábitos saudáveis forem tomados. É muito importante manter uma vida ativa, com atividades físicas regulares, alimentação adequada e controle de peso. A ingestão de bebida alcoólica também é um dos agravantes para desencadear a doença, assim como o uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e reposições hormonais.

O autoexame é um dos principais meios de prevenção. Ao tocar os seios, as mulheres devem perceber se há nódulos anormais e indolores. Identificar se há alteração no aspecto das mamas como vermelhidão, retração da pele – costuma-se comparar a uma casca de laranja -, e alterações nos bicos dos seios. Alguns nódulos podem surgir nas axilas e no pescoço, além da saída de líquido anormal e espontânea. Esses são os principais sinais de que precisa procurar imediatamente o seu médico.

O toque pode ser realizado da forma como achar mais confortável, seja no banho ou ao trocar de roupa, por exemplo. Você deverá:

    • Posicionar-se em frente ao espelho;
    • Observar os dois seios, primeiramente com os braços abaixados;
    • Coloque as mãos na cintura fazendo força na região das mamas;
    • Depois, coloque as mãos atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma dos mamilos;
    • Acompanhe o formato dos seios, com as pontas dos dedos, para identificar se há ou não nódulos;
    • Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.

Se esses sinais forem percebidos, é importante procurar um especialista o quanto antes. O diagnóstico precoce aumenta as chances do tratamento ser mais efetivo, menos invasivo, podendo salvar a sua vida. Todas as mulheres, independente da idade, precisam conhecer o seu próprio corpo. Isso fará com que inúmeros outros problemas sejam evitados ou descobertos com antecedência.

Mamografia

O Ministério da Saúde recomenda que a mamografia, para rastreamento, seja ofertada às mulheres a partir dos 50 anos, e realizada há cada dois anos. O exame consiste em uma radiografia das mamas e é feita por um equipamento de raio x, que fará com que tenha um melhor panorama da saúde dos seios.

O Sistema Único de Saúde – SUS, oferece o exame em qualquer idade, mediante prescrição médica.

Câncer de colo de útero

Essa doença é causada pela infecção persistente de alguns tipos de Papilomavírus Humano, o HPV, que podem causar alterações celulares que evoluem para o câncer de colo de útero.

Em 2020, mais de 16 mil pessoas foram diagnosticadas com a doença. Mas o que desencadeia essa anomalia? Segundo dados do INCA, o tabagismo pode ser um facilitador, assim como uso prolongado de anticoncepcionais, atividade sexual iniciada precocemente e com múltiplos parceiros. Os sintomas são quase imperceptíveis, mas, em estágios avançados podem causar sangramentos vaginais intermitentes ou após relação sexual, secreção e dor abdominal aliadas a queixas do trato urinário e intestinal.

A melhor forma de se prevenir é tomar os cuidados já relacionados acima, assim como a realização periódica de exames como papanicolau e preventivo, por exemplo, além de coletas de sangue e ecografias.

Conscientização Rosa

A união das mulheres nesse momento – e, claro, durante todo o ano – é muito importante desde a pessoa que não tem o diagnóstico até as que estão em tratamento. Saber que não está sozinha auxilia cada vez mais na conscientização e na propagação da campanha.

Se ame, se cuide e levante essa bandeira!

Notícias do Santa Mônica